sexta-feira, 24 de julho de 2009

Assembleia da COIAB - Aldeia São José - Montes Altos - Maranhão!

Árvore que marca o centro da aldeias São José

































































Participar
como convidada do grande momento político para os povos indígenas da Amazônia Brasileira, me encheu contentamento. Ao adentrar a aldeia São José, outro mundo encheu meus olhos. A forma tranquila de viver, a arquitetura na construção da aldeia de forma circular,a receptividade dos anfitriões. Rever meus amigos Lourenço Krikati, o professor e indigena Raimundo Krikati, sua esposa Lucia, Valdiniz Krikati, os mais velhos da aldeia, a grande quantidade de crianças que ali se faziam presentes algumas correndo entre os participantes da assembléia, outros nas tipóias carregadas pelas suas mães e por seus pais. Me certificando que há mesmo muitas momentos são singulares. A exemplo deste. A tiracolo, levei também minha cria, Bebel. ambiente para ela familiarizado.


Onde aconteceu?

A aldeia São José do Povo Krikati, muncipio de Montes Altos no Estado Maranhão, recebeu e acomodou um grande contingente de povos indígenas para a IX Assembléia Geral da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira COIAB – que engloba 75 organizações membros, oriundas dos nove estados da Amazônia Brasileira ((Amazonas, Acre, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins); a organização indígena abarca uma parcela de 60% da população indígena de todo o Brasil, numa somatória de 430 mil pessoas. Para o grande encontro fizeram-se presentes os seus representantes legais, entre eles destacamos a presença do Coordenador geral da COIAB Jecinaldo Sateré Mawé; Lourenço Krikati representante da Coordenação das Articulações dos Povos Indígenas do Maranhão (COAPIMA); delegados eleitos nas bases; bem como a presença da autoridade máxima local o Cacique José Krikati.
A grande reunião dos povos indígenas ali presentes registrou momentos singulares, a exemplo do III Encontro de Mulheres indígenas da Amazônia, que ocorreu na véspera da assembléia, “no qual foi definida a criação de uma organização autônoma de mulheres, que atuará de forma independente, em estreita parceria com a COIAB, e que foi denominada União das Mulheres Indígenas da Amazônia Brasileira – UMIAB.”( http://www.amazonia.org.br/noticias/noticia.cfm?id=320446) Festejado por todos e todas dignas de festa como assim fizeram o povo krikati, para a nova coordenação da UMIAB.

A grande Assembleia elegeu a nova coordenação da COIAB, essa assembléia aprsenta uma particularidade elegendo uma mulher como Vice-coordenadora, a representante do povo Guajajara Sonia Bone, os povos indígenas do Maranhão manifestaram seu contentamento, festejando com todos os presentes a grande conquista. O encontro também avaliou avanços e dificuldades encontradas pela instituição que representa os 160 povos indígenas, cada um com suas particularidades espalhados nas 110 milhões de hectares de terras amazônicas. Outro ponto importante tratado na Assembléia foi a revisão do estatuto que rege a entidade.

Como foi?

O encontro sucedeu clima de alegria e o povo Krikati, recepcionou os presentes com grandes momentos festivos, convidando também outros povos que ali se fizeram presentes para manifestarem seu contentamento com apresentações culturais. Entre outros o povo Karajá, registrou presença com uma comitiva de jovens, que confirmaram o repasse e aprendizado da cultura Karajá para as novas gerações.


Eu e Isabel nos aproximamos de um grupo jovem ali presente: era o povo Karaja, lindos e simpáticos irradiavam alegria, nos fotografamos, e um logo disse que autorizava a postagem no orkut, o que serviu para facilitar nosso pedido, sim a maiorias dos jovens Karajas ali presentes tem sim o a pagina do Orkut. Garantindo que não mais perderemos o contato com o grupo.Mantendo assim, um contato possível com outras culturas também. O grupo estava composto com sua indumentária de festa, e ficamos atentas para a apresentação, uma dança que as mulheres não participam.

















Para os não indígenas, os momentos se intercalaram entre políticos e culturais, no entanto a manha do dia 24 registra-se um momento peculiar: O batismos dos eleitos para a nova Coordenação da COIAB, que a partir deste momento receberam nomes de antigos guerreiros Krikatis, tornando-os também guerreiros daquele povo, levando consigo energias positivas para a grande responsabilidade que cada um recebera, na representatividade da mais importante organização indígena do Brasil.


Quem estava lá
?


Os novos rostos que surgiam a minha frente, demonstrando a diversidade de identidades e culturas diferentes. A Juventude indígena, convidados de outros povos ou a juventude Krikati, que ali estava responsável pelo bom andamento d o encontro. Servindo água, café e cuidando dos impecáveis banheiros disponíveis para a grande quantidade de participantes da Assembléia. Como é bom ver isso, povo organizado em busca de seus direitos. Como é péssimo saber que para ter nossos direitos respeitados precisamos nos dividir como povos. Sempre que eu ouvia alguém se referir ao homem branco eu ficava meio perdida querendo mesmo ter certeza a qual povo eu pertenço, de que cor eu sou, e qual cor terá os meus descendentes.
Mesmo assim, meio perdida com a minha identidade cultural, foi para mim um momento impar assistir e participar do grande encontro politico e cultural dos povos que eu prefiro chamar de grande festa dos verdadeiros povos amazônicos.


Outros momentos:








Um comentário:

Marcos disse...

minha amigaeuma pessoa especialconsidero muito ela